Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pinhal Novo vai ter Chaimite como monumento

Praceta da Rua Infante D. Henrique recebe veículo este domingo 

Os 43 anos do 25 de Abril vão ser assinalados de forma “inovadora” no Pinhal Novo. A praceta da Rua Infante D. Henrique [no lado sul da vila] vai receber uma viatura militar chaimite V-200, símbolo da revolução 1974, que resulta de uma parceria entre a Câmara de Palmela e o Exército Português. O veiculo militar é uma das viaturas que faz parte da história do 25 de Abril, quando o capitão Salgueiro Maia saiu de Santarém para ocupar os ministérios do Terreiro do Paço e o quartel da Guarda Nacional Republicana, no Carmo. O chaimite foi também usado por Salgueiro Maia para transportar Marcelo Caetano, presidente do Conselho de Ministros, na rendição, que marcou o fim do Estado Novo, ao Movimento dos Capitães. A partir deste domingo vai "ficar para sempre" na praçeta que vai ser rebaptizada de Praça Movimento das Forças Armadas.

Chaimite ficará na praceta da Rua Infante D. Henrique 

O lado Sul da vila de Pinhal Novo, concelho de Palmela, vai ter uma Praça Movimento das Forças Armadas decorada com uma Chaimite militar, a viatura militar usada pelas forças que fizeram o 25 de Abril de 1974.
O veículo, cedido à Câmara Municipal de Palmela pela Unidade de Apoio Geral de Material do Exército, chega à Rua Infante D. Henrique no próximo domingo, dia 23, às 10h30 da manhã.
A Chaimite MX-57-44 ficará instalada no local conhecido como Adega Pires ou JP Vinhos, entre a Sociedade Filarmónica União Agrícola  e o Pavilhão Desportivo Municipal de Pinhal Novo, que será nomeada de Praça Movimento das Forças Armadas.
O veículo, historicamente associado à Revolução de Abril, ficará transformado em monumento evocativo que, em conjunto com a praça, presta homenagem aos militares que depuseram Marcelo Caetano e assim derrubaram a ditadura que o país havia mergulhado em 1926, pela mão de António de Oliveira Salazar.
A viatura que ficará definitivamente instalada no Pinhal Novo foi totalmente restaurada pelo Exército e está completa, embora desarmada, uma vez que as peças de tiro foram retiradas.

A história da Chaimite 
A chaimite é um dos símbolos do 25 de Abril de 1974  
O Chaimite V-200 faz parte da história do 25 de Abril, pois foi com uma viatura idêntica, que o capitão Salgueiro Maia, saiu de Santarém para Lisboa, onde tomou os ministérios do Terreiro do Paço e o quartel da Guarda Nacional Republicana, no Carmo.
O veículo militar participou na operação liderada, também, por Salgueiro Maia, que transportou o presidente do Conselho de Ministros, Marcelo Caetano, do Quartel do Carmo, onde se rendeu ao Movimento dos Capitães, e marcou a queda do Estado Novo.
Numa época mais recente, os chaimites voltaram a ser usados em exercícios e instrução e, nos anos 90, estiveram ao serviço no Kosovo e na Bósnia.
O projeto de construção da Chaimite começou a ser desenvolvido no final da década de 1960 pela Bravia – Sociedade Luso-Brasileira de Veículos e Equipamentos, para as Forças Armadas Portuguesas que encontravam-se então envolvidas na Guerra do Ultramar e necessitavam de um veículo blindado adaptado às operações militares em curso.
Os primeiros veículos foram construídos em Belém (Lisboa), passando a produção posteriormente para a nova fábrica da Bravia, em Samora Correia, na região de Porto Alto. As primeiras unidades foram entregues já nos anos de 1970 e, em 1971, um primeiro lote é enviado para a Guiné-Bissau.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010