Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Mulher desaparecida em Grândola foi encontrada

Agentes da PJ de Setúbal salvam mulher de morte iminente 

A mulher de 37 anos que estava desaparecida em Grândola, desde segunda-feira, foi encontrada, esta sexta-feira, na casa do ex-companheiro, Paulo Roque, em Azinheira dos Barros. Quando a Polícia Judiciária entrou em casa, Paulo Roque estava a tentar asfixiá-la. A mulher foi entretanto transferida para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde estará em coma, com ventilação assistida, segundo a RTP3. O homem foi detido e já está na PJ de Setúbal e deverá ficar detido, na GNR de Palmela, até ser ouvido por um juiz para decretar as medidas de coação.  
Casa onde a mulher foi encontrada esta manhã 

“Fomos nós que lhe tirámos a mulher das mãos quando estava a tentar asfixiá-la com uma fita de plástico. A mulher está mal, foi assistida no local por uma equipa do INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica], mas espero que consiga recuperar”, disse à Lusa o diretor da Polícia Judiciária (PJ) de Setúbal, Vítor Paiva, que explicou que acabaram por ser os elementos da PJ a cortar a fita que estava enrolada à volta do pescoço da vítima, depois de uma entrada “musculada” na habitação.
“Estamos convencidos de que esta mulher acabaria por ser vítima de um homicídio sob qualquer pretexto, e o suspeito acabou por dar razão a esta convicção ao tentar asfixiá-la quando se apercebeu do movimento tático policial para entrar em casa”, afirmou o diretor, acrescentando que o homem foi detido pelas sete da manhã.
Uma outra fonte da PJ contou à Lusa que as autoridades viram-se obrigadas a uma intervenção musculada para deter o suspeito, o qual, depois de perceber as movimentações no exterior da casa, barricou-se no seu interior, fechou três portas e colocou móveis à frente para impedir a sua abertura.
Vítor Paiva disse que a PJ acreditava que, "mais tarde ou mais cedo, o suspeito regressaria a casa ou já estaria lá", salientando que pessoas e casas estavam a ser vigiadas há vários dias.
Já depois de Anabela Lopes ter sido levada pelo INEM, as buscas prosseguiram no interior da habitação, onde se manteve Paulo Roque, que foi entretanto conduzido para as instalações da PJ, em Setúbal, juntamente com o filho, de 17 anos.
Vítor Paiva adiantou que a PJ vai agora tentar reconstituir os últimos dias, perceber se o sequestrador teve apoio de alguém e investigar a passagem de uma viatura nos pórticos da Via Verde de Boliqueime e Tavira, no Algarve.
Segundo a RTP3 Anabela Lopes estará em coma, no Hospital Santa Maria, para onde foi transferida esta manhã, mas o gabinete de comunicação do hospital não quis prestar quaisquer esclarecimentos, escreve o jornal Observador.

Desaparecida desde segunda-feira 

O alerta do desaparecimento de Anabela Lopes chegou à Polícia Judiciária de Setúbal na segunda-feira, depois de a amiga com quem Anabela Lopes vivia ter estranhado o facto de ela não ter regressado a casa depois do trabalho e de o carro que a mesma conduzia ter sido encontrado na berma de uma estrada, com um vidro partido, no concelho de Grândola. Paulo Roque também estava desaparecido desde então e era o principal suspeito do rapto.
Anabela Lopes terá posto um ponto final à relação de um ano e meio há cerca de um mês e há um mês apresentou queixa na GNR de Grândola por violência doméstica. Segundo o Correio da Manhã, Paulo Roque já tinha sido condenado a sete anos de prisão por violação de menor.
Paulo Roque terá raptado Anabela Lopes na noite de domingo, abalroando o carro em que esta seguia. A fuga terá passado por vários locais, desde o Algarve até perto da fronteira com Espanha. Terão sido avistados na zona de Vila Real de Santo António. O sequestrdor terá tentado suicidar-se com golpes de faca, pouco antes de ser detido, mas não corre risco de vida.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010