Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Governo investe milhões nos portos de Sines e Setúbal

Terminal do Barreiro dependente do interesse e investimento privado

O Governo defende que a atividade portuária pode crescer em Portugal e criar 12 mil postos de trabalho até 2030. "Sermos incluídos nesta estratégia significa que temos um enorme potencial de crescer nesta nossa atividade portuária", afirmou o primeiro-ministro, António Costa, em Sines, depois de sublinhar o contexto favorável do comércio internacional por via marítima. O novo terminal de contentores do Barreiro, a melhoria das acessibilidades marítimas ao porto de Setúbal, através do aprofundamento do canal de navegação norte para permitir a navegação de navios de calado médio, e o alargamento do Porto de Sines, designadamente a 3.ª fase do alargamento do Terminal XXI e a construção do novo terminal de contentores Vasco da Gama, são obras incluídas na estratégia do Governo para o aumento da competitividade dos portos portugueses. António Costa e a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, anunciaram anda que o concurso público para o primeiro troço da ligação ferroviária entre Sines e Espanha vai ser lançado em Março de 2017. 

António Costa, acompanhado pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, em Sines

A estratégia do Governo para o aumento da competitividade dos portos portugueses, apresentada em Sines pela ministra do Mar, com a presença do primeiro-ministro, prevê um investimento total de 2,5 mil milhões de euros até 2026, com o objectivo de aumentar a capacidade de carga em 88 por cento, para 78 milhões de toneladas.
Para o Distrito de Setúbal, o documento estima um investimento de 695,2 milhões de euros repartidos por Sines e Setúbal. 670 milhões para o alargamento do Porto de Sines, incluindo já 470 milhões para a 2.ª fase da construção do novo terminal Vasco da Gama [prevendo-se que a capacidade de carga deste porto cresça 130 por cento, para 56,9 milhões de toneladas], e 25,2 milhões de euros de investimento para o Porto de Setúbal, que deve aumentar a capacidade de carga em 60 por cento, para 4,5 milhões de toneladas.
O terminal do Barreiro é referido no plano como uma das obras a concretizar, mas não é apontado qualquer valor de investimento ou objectivo de carga. A ministra tem dito sempre que a concretização deste projecto dependerá do interesse e investimento privado.
"Temos um resultado muito firme à nossa vista: criar 12 mil novos postos de trabalho até 2030", disse Ana Paula Vitorino, acrescentando que o Governo também pretende captar mais investimento nacional e internacional e maximizar o investimento privado e comunitário.
"Temos previsto, para a próxima década, a captação de investimento na ordem dos dois mil e quinhentos milhões de euros", disse.
Na apresentação da estratégia do Governo para aumentar a competitividade portuária, Ana Paula Vitorino afirmou que os portos nacionais são uma peça fundamental do Plano Nacional de Reformas e "cruciais para maximizar a vantagem competitiva da centralidade euro-atlântica de Portugal".
"Queremos que os portos portugueses sejam um `hub' fundamental para a internacionalização da economia portuguesa, para criar valor através da captação de mais mercadorias, novos investimentos de apoio ao desenvolvimento de novas plataformas de desenvolvimento tecnológico ligadas à investigação, à inovação, à ciência e à tecnologia, sobretudo relacionadas com os setores das energias renováveis oceânicas, dos recursos minerais e energéticos, do ambiente, da robótica submarina, da construção e reparação naval e da aquicultura, contribuindo para a obtenção de um sistema sustentável, quer do ponto de vista económico-financeiro, quer do ponto de vista social e ambiental", sublinhou a ministra.

Ligação ferroviária entre Sines e Espanha arranca e Março 
O primeiro-ministro anunciou que o concurso público para o primeiro troço da ligação ferroviária entre Sines e Espanha vai ser lançado em 2017. “Em Março será aberto concurso para a ligação entre Elvas e a fronteira, o primeiro concurso para avançar a ligação do Porto de Sines ao interland ibérico”, disse António Costa.
O primeiro-ministro disse também que "Portugal tem potencial para o crescimento da actividade portuária", salientando que a fachada atlântica portuguesa está incluída numa rota de comércio global, que constitui uma aposta da China para as próximas décadas.
"Sermos incluídos nesta estratégia significa que temos um enorme potencial de crescer nesta nossa actividade portuária", disse António Costa, depois de sublinhar o contexto favorável do comércio internacional por via marítima.

Autarcas de Sines e Barreiro "felizes" com as novidades 
Porto de Sines irá continuar a crescer 
Os autarcas de Sines e Barreiro, presentes na cerimónia, mostraram-se agradados com o plano para os portos. Nuno Mascarenhas, de Sines, aproveitou para reivindicar a conclusão da A26, troço da auto-estrada que ligará Sines a Beja, e considerou que “o sector portuário está, outra vez, no bom caminho”. O autarca do Barreiro ficou “satisfeito” com a inclusão do terminal de contentores e disse esperar que o concurso público avance em breve.
“É mais um passo, a afirmação clara por parte do Governo de que [o terminal de contentores] é para avançar. Os estudos de impacte ambiental irão, com certeza, este ano para a Agência Portuguesa do Ambiente e a partir dai é preparar o concurso público internacional para a sua concretização.”, afirmou Carlos Humberto ao jornal Público.

PSD satisfeito por PS dar continuidade ao terminal do Barreiro
O deputado do PSD do distrito de Setúbal, Bruno Vitorino, manifestou a sua satisfação com o plano para aumentar a competitividade portuária anunciado pela ministra do Mar e que prevê o terminal de contentores do Barreiro como uma das obras a concretizar.
“A inclusão da construção do terminal de contentores do Barreiro neste plano é um avanço relativamente ao impasse que o Governo tem vindo a ter relativamente a esta matéria”, diz o deputado.
Contudo, Bruno Vitorino quer ver esclarecido quais os moldes em que vai ser desenvolvido este projecto, pois no plano apresentado pelo Governo não é apontado qualquer valor de investimento ou objectivo de carga.
“Após tantas dúvidas e reversões, e após tantas pressões do PSD, parece que o Governo ponderou melhor e vai avançar com esta obra, que beneficiará não só o concelho do Barreiro como toda a península de Setúbal”, acrescenta.
Bruno Vitorino garante ainda que o PSD “tudo fará para que este projecto seja uma realidade, garantindo continuar a acompanhar este processo, exigindo ao Governo “que passe das palavras ao atos, pois o país desenvolve-se com projectos estruturantes e não com a reversão dos mesmos”.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010