Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Fábrica de Palmela completou 25 anos na sexta-feira

"A Autoeuropa é uma fábrica especial no mundo Volkswagen"

O responsável pela Produção e Logística do grupo Volkswagen, Thomas Ulbrich, elogiou na sexta-feira o desempenho da Autoeuropa nos primeiros 25 anos de vida e afirmou-se convicto de que a fábrica de automóveis de Palmela tem um “futuro auspicioso”. O presidente da República e o primeiro-ministro estiveram, esta sexta-feira à tarde, juntos na cerimónia evocativa dos 25 anos da fábrica de Palmela. Para António Costa, a empresa "tem sido um exemplo de como a formação e qualidade dos recursos humanos é a chave da produtividade da economia", considerando que "quem investe em formação sabe que o bem mais precioso que tem é qualidade dos seus quadros", o que "é incompatível com a precariedade". Para o Marcelo Rebelo de Sousa, é um somatório de fatores - como a escolha do parceiro adequado, a aposta de regime e o diálogo social, e a formação - que fez da empresa "um exemplo de sucesso nacional". 
 O novo modelo a ser produzido em Palmela vai chamar-se T-Roc e será apresentado em Março, no Salão Automóvel de Genebra. 
Primeiro-ministro e Presidente da República visitaram fábrica 


Thomas Ulbrich, que também integra o Conselho de Administração da Volkswagen, disse na cerimónia comemorativa dos 25 anos da Autoeuropa que os responsáveis do grupo alemão confiam nas capacidades da fábrica de Palmela para fazer face aos desafios do futuro.
A Volkswagen quer assumir um papel de liderança na nova era digital, que representa um ponto de viragem radical para todo o setor”, disse o responsável pela maior fábrica de automóveis do país.
Thomas Ulbrich sublinhou que a Autoeuropa faz parte dessa estratégia da marca alemã, com a construção do novo automóvel, que vai entrar em fase de produção no segundo semestre de 2017, e afirmou-se convicto de um “futuro auspicioso” para a fábrica de Palmela.
Além dos elogios aos trabalhadores e gestores da Autoeuropa ao longo de duas décadas, o responsável da Volkswagen elogiou também o apoio dos sucessivos governos de Portugal, bem como das associações patronais e sindicatos portugueses, no contributo que têm dado para o sucesso da Autoeuropa.
A Autoeuropa é parte da família da Volkswagen e, quero dizê-lo com toda a clareza, sentimo-nos bem em Portugal”, concluiu.

"A Autoeuropa é um motor de inovação no país"
A fábrica portuguesa da Volkswagen está a preparar o lançamento do novo modelo que vai arrancar no início do segundo semestre e vai proceder à contratação de mais trabalhadores nos próximos meses. "Vamos efectuar uma contratação maciça de trabalhadores, mais de mil pessoas seguramente. Vamos crescer mais de 200 mil carros por ano. Até agora, o máximo anual de produção foram 183 mil carros em 2011", disse o director-geral da Autoeuropa.
Miguel Sanches também destacou a importância da Autoeuropa para Portugal e para o distrito de Setúbal. "A Autoeuropa é um motor de inovação no país, é um pilar económico e social da região e mantém directamente e indirectamente mais de 16 mil famílias, desde os seus colaboradores até aos pequenos comerciantes da região".
O gestor elogiou o diálogo social existente na fábrica, que contribui para o seu sucesso. "A estabilidade de emprego, o diálogo entre trabalhadores e a administração é apontado como exemplo único. O activo mais importante são os nossos colaboradores, somos uma família".
"É uma fábrica que vive orgulhosamente o dia-a-dia, com pessoas que fazem muito bem o seu trabalho e sentem a Autoeuropa como parte da sua família", sublinhou o administrador.
"Esta fábrica é muito especial, ela começou com uma joint-venture entre a Ford e a Volkswagen, adquiriu na altura um ADN próprio que tem sido afinado ao longo dos anos nesta integração no mundo Volkswagen, e isto faz de nós uma fábrica muito especial no universo de mais de 100 fábricas do grupo Volkswagen", concluiu.
A Autoeuropa, atualmente o segundo maior exportador nacional, que representa um por cento do PIB nacional (2015), deverá atingir níveis de produção nunca vistos na fábrica de Palmela com a produção do novo veículo em três turnos diários. Nos próximos meses, a Autoeuropa vai contratar mais de mil novos funcionários, que se vão juntar aos atuais 3.600, alguns dos quais em serviço noutras unidades industriais do grupo alemão espalhadas por todo o mundo.

Costa e Marcelo agradecem visão de Cavaco
Fábrica vai contratar mais de mil pessoas no próximo ano 
Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, estiveram em sintonia, esta sexta-feira, no agradecimento ao Governo de Cavaco Silva pela visão que permitiu instalar a Autoeuropa em Portugal há 25 anos.
O presidente da República e o primeiro-ministro estiveram, esta sexta-feira à tarde, juntos na cerimónia evocativa dos 25 anos da Autoeuropa em Portugal, em Palmela, Setúbal. António Costa, que subiu primeiro ao púlpito, fez questão de deixar uma "palavra especial de apreço a Mira Amaral" que há 25 anos, então como ministro da Indústria, "deu um contributo decisivo" para que a fábrica da Autoeuropa fosse instalada em Portugal.
No entanto, no discurso que encerrou a cerimónia, Marcelo destacou a palavra a Mira Amaral deixada pelo primeiro-ministro, mas acrescentou que lhe parecia "justo agradecer ao professor Cavaco Silva", o primeiro-ministro desse Governo, "que teve a visão de lançar um projeto pioneiro".
"Essa capacidade de ver a longo prazo é um dos segredos do futuro e do presente de Portugal", enfatizou num elogio ao seu antecessor no Palácio de Belém.
Para o primeiro-ministro, a empresa "tem sido um exemplo de como a formação e qualidade dos recursos humanos é a chave da produtividade da economia", considerando que "quem investe em formação sabe que o bem mais precioso que tem é qualidade dos seus quadros", o que "é incompatível com a precariedade".
António Costa destacou ainda que o modelo de diálogo social da Autoeuropa "tem sido uma das chaves de sucesso" da empresa, ideia que foi depois secundada por Marcelo Rebelo de Sousa.
Para o chefe de Estado, é um somatório de fatores - como a escolha do parceiro adequado, a aposta de regime e o diálogo social, e a formação - que fez da empresa "um exemplo de sucesso nacional".
A Autoeuropa, para Marcelo, passa por "apostar na Europa, não ter complexos de ser europeu, continuar a defender a União Europeia e ter um parceiro alemão", que é "uma das chaves de sucesso da economia para Portugal".
O Presidente da República - que fez questão de dizer, em alemão, que este dia era de uma grande alegria - enalteceu a "complementaridade entre Portugal e a Alemanha, onde a "capacidade de improviso do português" se complementa com a "capacidade de rigor do alemão".
Com um total convicção na estabilidade da empresa, mas também na estabilidade governativa, Marcelo revelou a promessa que tinha feito juntamente com Costa, de voltarem os dois a estar juntos em Palmela em Agosto de 2017, para conduzirem o novo modelo do carro que está a ser fabricado naquelas instalações e tirar uma foto com todos os trabalhadores da empresa.

Câmara de Palmela "desvenda" novo modelo da Autoeuropa 
A Câmara de Palmela aprovou, de forma unânime, na reunião pública de 7 de Dezembro, uma saudação à Autoeuropa pelos seus 25 anos de vida, onde é sublinhada a importância desta empresa para o desenvolvimento da região e para a economia nacional.
A Autoeuropa ajudou a "mudar a face deste concelho, um território que aprendeu, ao longo destes 25 anos, a conjugar a sua tradição rural com a vocação industrial e logística proposta pela localização estratégica e pelas excelentes acessibilidades", refere a moção.
Com a Autoeuropa, lembra a autarquia, "vieram muitos milhares de postos de trabalho, diretos e indiretos, mas, também, novas e novos habitantes para um concelho que tem crescido cerca de 10 mil habitantes a cada década".
Através do projeto educativo da Academia ATEC – uma parceria entre a Volkswagen, a Siemens, a Bosch e a Câmara de Comércio Luso-Alemã – "tem sido possível formar jovens profissionais qualificados e especialmente vocacionados para o setor automóvel, vantagem competitiva para a região, quer na afirmação da Autoeuropa no contexto internacional, quer na capacidade de atração de novos investimentos", lembra a autarquia de Palmela.
A importância desta indústria na região potenciou, também, a formação do FIAPAL – Fórum da Indústria Automóvel de Palmela, associação que pensa a indústria automóvel no concelho e na região de forma articulada e estratégica, no plano do desenvolvimento da Península de Setúbal.
"O município tem procurado, também, ser um parceiro de primeira linha, apoiando a implantação da Autoeuropa e a viabilização de novos investimentos e projetos. Apesar dos altos e baixos vividos quer pelo setor, quer pela empresa, aguardamos, com expetativa, a nova fase que irá iniciar-se em 2017, com a chegada do novo crossover da marca, fruto de um investimento na fábrica de Palmela para adaptação das linhas de montagem, que deverá rondar os 677 milhões de euros. O novo modelo vai chamar-se T-Roc e será apresentado em Março, no Salão Automóvel de Genebra, sendo expectável que permita a duplicação da produção em Palmela para os 200 mil veículos por ano, em 2018", diz a autarquia que quer "que esta relação de parceria continue a fortalecer-se, em prol deste objetivo partilhado que é o desenvolvimento sustentável da região e do país".

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010