Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Palmela entregou candidaturas a fundos comunitários

Município espera aprovação de milhões em fundos comunitários

Até final de Outubro, o município de Palmela encerrou um primeiro ciclo de candidaturas a fundos comunitários, no âmbito do Portugal 2020, e está confiante no sucesso do financiamento para estes projetos, que incidem, particularmente, nas áreas da educação, do património, do turismo, da mobilidade e do espaço público, e que se revestem de grande importância para o desenvolvimento sustentável do território. Estas candidaturas, no valor global de cinco milhões 714 mil euros "incidem em todas as freguesias, de forma equilibrada, e só são possíveis no contexto de equilíbrio financeiro do Município", explica o gabinete de imprensa da Câmara de Palmela. A autarquia diz ter intenção de concluir e apresentar, ainda, até ao final do ano, um novo pacote de candidaturas a fundos comunitários.
Obra da Ligação Intermodal Pinhal Novo está a decorrer 

Entre o conjunto de candidaturas ao Portugal 2020, apresentadas pelo município, estão a ampliação e requalificação de quatro escolas básicas, de Aires (500 mil euros), Águas de Moira (684 mil euros), Matos Fortuna, em Quinta do Anjo (689 mil) e Escola das Cabanas (484 mil); a Unidade Familiar de Pinhal Novo (1,27 milhões de euros); a regularização da Vala da Salgueirinha, no Pinhal Novo (2,24 milhões); e a empreitada de recuperação das encostas do Castelo de Palmela, entre outros investimentos.
A Ligação Intermodal Pinhal Novo, a decorrer na zona sul da vila, junto à Estação Ferroviária, "com objetivos de promoção da intermodalidade e criação de condições de apoio à rede ciclável local que permitam a adoção de formas de mobilidade amigas do ambiente, contribuindo, também, para a requalificação de espaços degradados", explica a Câmara de Palmela.
Esta obra está relacionada com outros projetos, a candidatar pelo município a fundos europeus. Nomeadamente a “Ligação do Largo adjacente à Rua Infante D. Henrique (antigo Largo da Mitra) à zona central de Pinhal Novo”, esta operação representa um investimento elegível de 172 mil euros, cofinanciado em 50 por cento pelo Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e pelo Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável - candidatada através da Prioridade de Investimento 4.5 – Promoção de estratégias de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios, nomeadamente as zonas urbanas, incluindo a promoção da mobilidade urbana. 

Câmara quer recuperar Chibanes e Grutas da Quinta do Anjo 
A operação “Parrábida - Espaços de lazer e bem-estar” (investimento global elegível de 50 mil  euros) é outro dos projetos apresentados. 
"Prevê a criação de um percurso através da Serra do Louro, em pleno Parque Natural da Arrábida, que associa estruturas para interpretação, descoberta e contemplação de um território com valores naturais e culturais de grande importância, criando ou consolidando espaços de lazer para turismo sustentável. O Parque de Merendas de S. Gonçalo marca o início deste percurso, que incluirá os Moinhos da Serra do Louro e os sítios arqueológicos de Chibanes, do povoado muçulmano do Alto da Queimada e das Grutas Artificiais de Quinta do Anjo", explica a Câmara de Palmela. 
Chibanes e as Grutas Artificiais de Quinta do Anjo são alvo de uma segunda candidatura, intitulada "Valorização de sítios arqueológicos", que apresenta o investimento global elegível de 80 mil euros e pretende "musealizar estes espaços, dotando-os de melhor acessibilidade e de informação que permita uma leitura mais abrangente. Ambas as operações estão inscritas no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Área Metropolitana de Lisboa". 

Projeto Almenara quer ligar castelo de Palmela a São Jorge 
Também a operação “Almenara – Palmela” já está em curso, através de uma parceria entre o município de Palmela e a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural,  com o apoio do município de Lisboa. O projeto "assenta numa estratégia comum para diferenciação e diversificação da oferta turística, com base na História e Património da região e num programa cultural partilhado pelos Castelos de Palmela e de S. Jorge, em Lisboa", sublinha a autarquia.
O Ritual Almenara (a evocação histórica), Almenara Descobre (conhecer para valorizar) e Almenara Comunicação "são os três eixos da operação, com investimento global elegível de 308 mil 390 euros, cofinanciado em 50 por cento pelo FEDER", diz a Câmara de Palmela. 

Evitar derrocadas nas encostas do Castelo de Palmela
Outras intervenções estão, já, em curso, como é o caso da “Intervenção de natureza estrutural para evitar derrocadas nas encostas do Castelo de Palmela”. A candidatura foi submetida em Janeiro e tem um investimento global elegível de dois milhões 800 mil euros, cofinanciado em 85 por cento pelo Fundo de Coesão. Os restantes 15 por cento serão assumidos pela Direção Geral do Tesouro e Finanças, entidade proprietária do Castelo.
Entretanto, "o município investiu, já, largas dezenas de milhares de euros em sondagens e produção de cartografia, estando o projeto, de grande complexidade, em elaboração com o envolvimento do Laboratório Nacional de Engenharia Civil", explica a Câmara de Palmela.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010