Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Cidade do Desporto com retorno positivo em Setúbal

Cidade capital do desporto “trará aos vindouros enormes vantagens”

O previsto aumento da prática desportiva nos jovens e em termos profissionais foi apontado esta quinta-feira, como um efeito do investimento que a Câmara de Setúbal está a realizar. O vereador com o pelouro do Desporto na autarquia, Pedro Pina, na sessão de abertura do XVII Congresso Nacional da Associação Portuguesa da Gestão do Desporto, com o tema “Desporto e Saúde: uma questão de Estado”, a decorrer até dia 18 no Fórum Municipal Luísa Todi, destacou os reflexos positivos do programa Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016. O autarca acredita que o investimento realizado em 2016 “trará aos vindouros enormes vantagens”, com importantes reflexos no aumento dos contingentes de jovens que querem praticar desporto, mas também daqueles que querem fazer do desporto a sua vida profissional.
Congresso debate desporto e saúde durante dois dias 

“Estamos, por isso, a falar de um investimento que constrói futuro, que, como temos afirmado em vários fóruns, aposta na qualificação dos nossos jovens e promove cidades mais saudáveis, mais ativas, mais atrativas num contexto em que se promove o desporto para todos, sem impor limites, sejam eles quais forem”, disse Pedro Pina.
A Associação Portuguesa da Gestão do Desporto, que assinala também o vigésimo aniversário, decidiu realizar em Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016 o XVII Congresso Nacional de Gestão de Desporto, destinado a estudantes, professores e profissionais ligados à atividade física, com o objetivo de partilhar conhecimento.
Perante uma plateia completamente lotada, o vereador Pedro Pina sublinhou a importância de ser a primeira vez que o congresso anual de “uma tão importante associação para o desenvolvimento do desporto”, como é a Associação Portuguesa de Gestão do Desporto, se realizar em Setúbal.
Para o autarca, é “urgente refletir sobre as condições em que o desporto ganha cada vez maior relevância nas nossas vidas, principalmente ao nível da saúde” e garante que o município de Setúbal está “profundamente empenhado em prolongar na cidade os efeitos positivos induzidos pelo estatuto de Cidade Europeia do Desporto 2016”.
Pedro Pina lembrou o investimento que a Câmara Municipal tem feito nos últimos anos na criação de condições que permitem à generalidade dos cidadãos o acesso a formas qualificadas de desporto.
“Apostamos permanentemente no aumento dos níveis de participação e frequência nas atividades desportivas com segurança e enquadramento técnico de qualidade. Temos uma política de desenvolvimento desportivo sustentada na forte dinâmica do movimento associativo local e regional de forma transversal”.

Desporto e saúde em debate 
O autarca, que recordou a assinatura, a 27 de Outubro, da Declaração de Setúbal – Compromisso para 10 Metas e Desafios na Promoção da Saúde, no âmbito do Fórum da Rede Portuguesa dos Municípios Saudáveis, vincou que a autarquia tem dado “a maior importância a estes temas no programa oficial da Cidade Europeia do Desporto”.
É de salientar, neste âmbito, a realização de um conjunto de eventos e ações relacionados diretamente com o tema da saúde e de outros de Desporto para Todos que pretendem chamar a atenção das populações para a importância da atividade física e do desporto para a saúde e a qualidade de vida.
“A candidatura a Cidade Europeia do Desporto Setúbal 2016 foi, para nós, forte pretexto para apostar no reforço destas e de outras iniciativas e dar continuidade à aposta na promoção da saúde pela prática da atividade física e desportiva. Tal continuará a ser feito para lá de 2016 e, por isso, encaramos este estatuto como pretexto para ampliar, ainda mais, a nossa oferta desportiva, para melhorar as condições de prática do desporto no concelho”, sublinhou Pedro Pina.
A importância do tema escolhido para o congresso, “Desporto e Saúde: uma questão de Estado”, foi também salientada pelo presidente da Associação Portuguesa de Gestão do Desporto, Amadeu Portilha, para quem é necessária uma dimensão nacional na discussão do que deve ser feito para reverter o ciclo de inatividade física.
“Esta reflexão deve ser uma questão de Estado. É que temos um país com boas infraestruturas desportivas e excelentes profissionais, mas, por exemplo, os níveis de sedentarismo e os números da obesidade infantil continuam a aumentar. Há mais de um milhão de obesos em Portugal, uma em cada duas crianças sofre de obesidade, além do elevado número de doenças cardiovasculares”.

Os exemplos da Espanha e da Finlândia 
Já o presidente da Federação Espanhola de Gestores de Desporto, Luis Solar, lembrou a Carta Europeia do Desporto para Todos, aprovada em 1975, em Bruxelas, que definia o desporto como um direito de todos os cidadãos.
No entanto, o responsável considera que hoje em dia “o repto é muito mais ambicioso, uma vez que, mais do que um direito, o desporto transformou-se numa necessidade, pelas importantes consequências positivas que pode ter a nível social e na saúde”.
O congresso prosseguiu com uma conferência conduzida por Sami Kokko, representante do governo da Finlândia, que falou sobre o modelo desportivo e educativo existente naquele país escandinavo.
O encontro, integrado no calendário de Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016, continuou com uma tertúlia/debate, moderada por Pedro Sarmento, da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, com intervenções de Rita Tomás, da Direção-Geral de Saúde, Vítor Pataco, do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Humberto Santos, do Comité Paralímpico de Portugal, e José Manuel Constantino, do Comité Olímpico de Portugal.
O XVII Congresso Nacional da APOGESD prossegue durante esta sexta-feira.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010