Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Museu Marítimo de Sesimbra abriu portas ao público

"O Museu Marítimo é um dos projetos culturais mais relevantes para o concelho" 

A inauguração do Museu Marítimo de Sesimbra, na Fortaleza de Santiago, foi o momento alto das comemorações do Dia do Pescador,  a 31 de Maio. A cerimónia contou com a presença da Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que enalteceu o trabalho da autarquia na recuperação e preservação do património. "Felicito a Câmara de Sesimbra pela aposta na requalificação do património e especialmente pela criação deste espaço cultural, que concilia o conceito de museu tradicional com as novas tecnologias para dar a conhecer variadíssimos aspetos da pesca, as memórias e tradições da comunidade sesimbrense", sublinhou a Ministra.
Centenas de pessoas marcaram presença na abertura do museu 

Durante a visita inaugural, a ministra do Mar foi acompanhada pelo presidente da Câmara Municipal, Augusto Pólvora, o secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, autarcas, representante do secretário de Estado da cultura e de várias entidades que apoiaram e participaram na instalação deste equipamento.
A titular da pasta do Mar do Governo afirmou ainda que o Museu "é o reflexo de um excelente trabalho do ponto de vista cultural e, também um exemplo da boa aplicação de fundos comunitários». No final, Ana Paula Vitorino afirmou que vai voltar com a família «porque este museu está muito bem conseguido e merece uma visita mais prolongada", concluiu Ana Paula Vitorino.
Por seu turno, a vice-presidente da Câmara de Sesimbra, Felícia Costa destacou a importância deste espaço cultural para Sesimbra: "o Museu Marítimo é um dos projetos culturais mais relevantes para o concelho e tem um simbolismo muito forte para a vila e para a sua comunidade, porque disponibiliza um valioso espólio reunido ao longo de décadas que dá a conhecer a história e o saber único dos sesimbrenses, e porque é o culminar do processo de recuperação da Fortaleza de Santiago, o local ideal para a instalação deste museu", referiu, acrescentando que é um museu da comunidade, pela proximidade e colaboração dos sesimbrenses ao longo dos anos.
A inauguração contou com a presença de muitos munícipes, que quiseram ser os primeiros a visitar os vários espaços do Museu Marítimo, que apresenta uma componente lúdica e interativa que surpreendeu e cativou todos os presentes.
O museu vai estar aberto ao público de terça a domingo, das 10 às 13  horas e das 14h30 às 17h30. Os residentes no concelho têm entrada gratuita.

O que pode ver no museu 
O Museu Marítimo de Sesimbra situa-se na Fortaleza de Santiago, monumento seiscentista que foi recentemente recuperado pela Câmara Municipal. O Museu reúne, em várias salas, com diferentes temáticas, um vasto património fruto, em grande parte, de um trabalho de proximidade feito com a comunidade piscatória.
Um cepo de âncora com cinco mil anos associado à navegação no período romano e um conjunto de anzois e pesos de rede situados entre 2500 e 200 a.C. são os artefactos mais antigos da exposição, e transportam o visitante no tempo para conhecer os vários povos que passaram pelo território, assim como a sua forte ligação ao mar.
A aposta numa componente lúdica e interativa está patente em vários momentos deste novo museu. As novas tecnologias multimédia assumem-se como um auxiliar precioso para despertar o interesse dos visitantes.
Desde o Princípio é o título de uma animação 3D que apresenta os principais momentos da história de Sesimbra. Na vertente geológica destaca-se a recriação da formação da Arrábida e do Cabo Espichel ou a passagem dos dinossáurios, cujas marcas são visíveis no Cabo, e na vertente histórica surgem a vila no tempo dos romanos, a famosa batalha de 1602 ou a Capela do Espírito Santo e o Hospital Medieval em pleno funcionamento.
Na sala dedicada ao Parque Marinho Luiz Saldanha, a componente marítima do Parque Natural da Arrábida, um aquário virtual permite-nos “mergulhar” no fundo do mar e conhecer as espécies mais comuns existentes no Parque. Com um leve toque na tela surge um quadro com informação sobre cada espécie.
Na Sala da Memória, uma mesa interativa (touch screen) possibilita a consulta de duas bases de dados documentais com registo dos pescadores sesimbrenses desde finais do século XIX, assim como o registo de embarcações sesimbrenses a partir do início do século XX. Este trabalho foi possível com recurso a pesquisas nos arquivos da delegação marítima de Sesimbra e no Arquivo Geral de Marinha.
Num ambiente tecnológico e acessível e cativante para o público será possível consultar as informações das cédulas de muitos dos marítimos de Sesimbra e sobre muitas das embarcações sesimbrenses. A mesa permite quatro utilizadores em simultâneo e a informação pode ser projetada numa tela, para facilitar as consultas em grupos organizados.
As rotas dos pescadores de Sesimbra, os pesqueiros, o tempo de viagem, as artes que usavam, as espécies que capturavam são informações que passam a estar disponíveis ao público num painel multimédia existente na Sala da Viagem. A base de dados traça as várias rotas feitas entre Sesimbra e os locais onde se procedia à pesca. Trata-se de um painel de fácil consulta, que permite aceder a informação bastante relevante.


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010