Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 12 de abril de 2016

Setúbal, Palmela e Sesimbra discutem Arrábida

“A Arrábida é a menina dos olhos destes três municípios” 

A Associação de Municípios da Região de Setúbal, em parceria com os municípios de Palmela, Sesimbra, Setúbal e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, promove, no próximo dia 14 de Abril, um encontro subordinado ao tema “Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera”. A iniciativa vai realizar-se no Auditório da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal. A iniciativa contará, na sessão de abertura, às 14h30, com as participações dos presidentes das três câmaras municipais: Maria das Dores Meira (Setúbal), Álvaro Amaro (Palmela) e Augusto Pólvora (Sesimbra). As dormidas nos hotéis dos concelhos de Setúbal, Sesimbra e Palmela estão a crescer a dois dígitos. Entidade de turismo e municípios da região estão a trabalhar na criação da marca Arrábida. 
Região quer Arrábida  como Reserva da Biosfera 


A estes juntam-se ainda o presidente do Conselho Directivo da Associação de Municípios, Rui Garcia, que também preside à Câmara da Moita, e Maria Jesus Fernandes, directora do Departamento de Conservação da Natureza e das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo.
O encontro de divulgação do processo de candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera pretende ser, segundo a Associação de Municípios da Região de Setúbal, “um espaço de reflexão, que envolva diversas entidades e personalidades ligadas à região e à Arrábida, procurando dessa forma a recolha de experiências e contributos para o enriquecimento do processo da Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera”, assim como “dar a conhecer o Programa ‘Homem e a Biosfera’ MAB – Reservas da Biosfera da UNESCO”.
Após a sessão de abertura, intervirá João Afonso Luz, coordenador técnico da Associação de Municípios da Região de Setúbal, para explicar o processo da candidatura.
Segue-se, pelas 15h10, a apresentação do programa “Homem e a Biosfera’ MAB – Reservas da Biosfera da UNESCO, com intervenções de Anabela Trindade, presidente do Comité Nacional do programa “Man & Biosphere”, e Elisabeth Silva, responsável pelo sector das Ciências da Comissão Nacional da UNESCO.
Pelas 15 horas, será a vez de Mário Antunes, gestor da Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo, fazer a apresentação de experiência da reserva da biosfera. Às 16 horas, para assinalarem os contributos para a Arrábida e a Biosfera, estarão presentes Jorge Humberto Silva, diretor do Departamento Operacional da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, Natália Henriques, coordenadora da ADREPES, e Pedro Dominguinhos, presidente do Instituto Politécnico de Setúbal. Meia-hora mais tarde (16h30) será aberto um espaço para debate, sendo servido um moscatel de honra a encerrar a iniciativa.

Arrábida pode ser “a porta para a região”
Para a presidente da Câmara de Setúbal, o crescimento no turismo, durante o ano passado, é  fruto do trabalho desenvolvido pelo município. “Estamos a afirmar Setúbal como a grande capital que é”, afirmou Maria das Dores Meira, no ano passado.
“Com a requalificação urbana da cidade e do concelho, tornando-os mais atractivos para os que nos vistam e criando mais qualidade para os que cá vivem”, disse a autarca, acrescentando estar convencida de que “por esta via estão a ser criadas mais e melhores condições para o aumento do número de turistas que visitam” a região.
Em Palmela, os últimos anos têm sido de crescimento acentuado. Segundo o Plano Estratégico para o Turismo na Região de Lisboa 2015-2019, Palmela foi o concelho da península de Setúbal que apresentou o maior crescimento, tanto em oferta como em procura turísticas, desde 2009.
“Nos últimos cinco anos tivemos os melhores anos turísticos de sempre”, disse o vereador com o pelouro do Turismo na Câmara de Palmela. Para Luís Calha, este desempenho “tem a ver com a estratégia integrada de desenvolvimento turístico que engloba um conjunto diversificado e alargado de parceiros, locais, regionais, nacionais e até internacionais”.
O autarca afirmou ainda que “há hoje uma estratégia e um compromisso muito fortes, entre os municípios e os agentes locais, para inovar e diversificar a oferta turística” e dá o exemplo do funcionamento em rede ao nível local entre os municípios de Palmela, Setúbal e Sesimbra, que têm um protocolo sobre os castelos e fortes da Arrábida.
A entidade de turismo e os municípios estão agora empenhados em valorizar a serra, que tem potencial para desenvolvimento do negócio turístico em múltiplos segmentos, como turismo de natureza, desportos náuticos ou enoturismo.
Para isso há várias acções em curso e uma ideia principal; a criação da marca Arrábida. Vítor Costa, presidente Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa  já disse que estas entidades estão “muito entusiasmadas” com esse objectivo e que foi criado um grupo de trabalho, que envolve também outros parceiros regionais e nacionais.
A candidatura da Arrábida a Reserva Mundial da Biosfera é outro objectivo que está a mobilizar esforços na região, principalmente por parte da Associação de Municípios da região de Setúbal, que se voltou para esta alternativa após o falhanço da candidatura a património da UNESCO.
Actualmente existem no mundo mais de 600 sítios classificados como reserva mundial da Biosfera, em 127 países, e a obtenção desse estatuto para a Arrábida, segundo o presidente da Câmara de Sesimbra, pode valorizar a serra “potenciando actividades como a pastorícia e as potencialidades turísticas”.
Augusto Pólvora sublinhou que “a Arrábida é a menina dos olhos destes três municípios” e que a aposta é fazer da serra “a porta para a região”.

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010