Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Palmela dedicou semana à freguesia de Quinta do Anjo

Município de Palmela e Junta definem prioridades para a Freguesia

As visitas à freguesia de Quinta do Anjo levou autarcas, um conjunto de técnicos da Câmara de Palmela e da Junta da Quinta do Anjo e jornalistas a conhecerem os problemas e as realidades da freguesia mais a oeste do concelho de Palmela. A semana começou com a reunião entre a Câmara e a Junta de Freguesia de Quinta do Anjo. Nesta reunião, foram debatidos três tópicos principais: obras ou ações em curso ou a realizar na freguesia, delegação de competência da Câmara na Junta de Freguesia e candidaturas no âmbito do Portugal 2020. No que se refere ao trabalho em curso na freguesia, as atenções centraram-se nas obras de saneamento e rede viária, nos investimentos programados para as escolas, designadamente, nas EB1 de Cabanas e António Matos Fortuna, na necessidade de acompanhamento diferenciado dos processos de reconversão das áreas urbanas de génese ilegal e na requalificação do Mercado de Quinta do Anjo.
Autarcas visitaram obras em curso em Quinta do Anjo 


Uma das primeiras paragens foi no Centro Social de Quinta do Anjo, para contactar com o trabalhado desenvolvido por esta Instituição Particular de Solidariedade Social e conhecer a sua situação atual. Constituída, formalmente, em 1982, esta associação diversificou, ao longo dos anos, o conjunto de respostas que oferece à comunidade e presta, hoje, apoio, a crianças, idosos, desempregados e famílias com graves carências económicas e sociais. 
Com capacidade para 246 crianças (creche, pré-escolar e ATL), Centro de Dia com 35 seniores e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 utentes, disponibiliza, também, um Gabinete de Inserção Profissional, Serviço de Psicologia e Cantina Social, que distribui cerca de seis dezenas de refeições a pessoas em situação de fragilidade social. Dispõe, ainda, de uma Loja Social, localizada no Mercado Municipal de Quinta do Anjo.
No presente, além do estacionamento e acesso às instalações da creche e pré-escolar, o edifício onde funciona o Centro de Dia representa o problema mais premente da instituição, tendo a autarquia de Palmela apoiado, em 2015, obras de conservação urgentes. A direção pretende melhorar o existente e promover a ampliação, para alargar a resposta, e a autarquia mostrou-se disponível para apoiar um investimento dessa natureza, no âmbito de uma candidatura a fundos comunitários, lembrando que a principal fatia deve ser assegurada pela Administração Central. 
"A Península de Setúbal necessita de um novo Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, que permita a requalificação das nossas instituições, a braços com muitas dificuldades, até, de subsistência porque os acordos com a Segurança Social não acautelam todo o serviço que é, efetivamente, prestado e as competências que foram descentralizadas não têm sido acompanhadas dos recursos correspondentes", explica a autarquia. 
O município procurou sensibilizar a nova Diretora do Centro Distrital de Setúbal da Segurança Social para o tema e espera que o "paradigma mude rapidamente, para um novo olhar sobre a área social na região e no país", contou Álvaro Amaro, presidente da Cãmara de Palmela. 
Os autarcas visitaram ainda a Rua José Luís Cipriano, ao lado do Centro Social, onde terminou, recentemente, a construção de um prolongamento do coletor de esgotos, numa extensão de 250 metros, e de oito ramais domiciliários, numa obra de cerca de dez mil euros, que fez parte da empreitada 2015 de ampliação e remodelação das redes de águas residuais domésticas e pluviais. 
Para o mesmo local, diz Álvaro Amaro, "está já em preparação o projeto para a pavimentação, um compromisso de mandato que vai avançar este ano e que está orçado em cerca de 50 mil euros".
A autarquia está a estudar a relocalização de uma oliveira centenária e alguns ajustes para um perfil de via mais adequado, que constitua uma alternativa à estrada nacional e que consolide a malha urbana.

Município avança com ampliação da Escola Básica de Cabanas
A visita à Escola Básica de Cabanas integrou uma reunião com a Direção da Escola e do Agrupamento para aferir as necessidades deste equipamento, que passam, em grande medida, pela falta de espaço para o desenvolvimento adequado das atividades que fazem parte da vida escolar atual.
Em concreto, foi apontada como crítica a falta de um espaço multiusos, onde possam ter lugar as atividades de enriquecimento curricular e expressões, libertando salas como a Biblioteca, que estão, hoje, afetas a outro tipo de utilização. Uma sala de arrumos e novos sanitários, bem como a qualificação do logradouro/refeitório, são mais algumas das necessidades que serão consideradas.
"A ambicionada ampliação da escola, há semelhança do que tem vindo a acontecer com outros estabelecimentos de ensino, não será, ainda, possível, até porque teria que passar pela aquisição de mais terreno, mas dentro da área atual, a autarquia está disponível para avançar, ainda este ano, com uma intervenção de ampliação e qualificação da EB de Cabanas, com o apoio de fundos comunitários, no âmbito do Pacto de Coesão da Área Metropolitana de Lisboa", explica a autarquia.  
Para isso, será afetada uma verba de cerca de 200 mil euros e apresentada, até 30 de Abril, uma alteração ao Pacto, que acrescente esta escola aos três outros casos prementes que já tinham sido sinalizados: a EB de Águas de Moura, a EB Matos Fortuna, em Quinta do Anjo, e a EB de Aires.
A Câmara de Palmela "já tem um programa preliminar e vai trabalhar, rapidamente, num estudo prévio que responda às expetativas das Direções, e ficou o compromisso de regressar, em breve, para apresentar e debater o projeto com a comunidade educativa". 

Autarcas no Mercado Municipal de Cabanas 
Executivo passou pelo renovado Mercado de Cabanas 
A comitiva visitou ainda o Mercado Municipal de Cabanas, equipamento que viu concluída, em Janeiro, uma empreitada de obras de conservação, no valor de 12 mil 623 euros, que veio dotar "o equipamento de melhores condições de funcionamento e conforto", explica a autarquia.  
Ainda assim está em falta a recuperação de uma janela, que dá acesso a um terreno privado, mas já se chegou a acordo com o proprietário e esta pequena obra vai ser adjudicada, para concluir os trabalhos.
A autarquia pretende ainda "pavimentar a rua do Mercado e deslocalizar o contentor de resíduos sólidos urbanos, respondendo às solicitações apresentadas pelos operadores deste espaço, que continua a ser muito procurado pela população e que desempenha um papel importante na comunidade".
Inaugurado em 1988, o Mercado Municipal de Cabanas conta com sete bancas de venda, distribuídas por cinco operadores, com peixaria, hortofrutícolas, pão e mercearia.
Na sequência do processo de participação sobre a futura utilização do Mercado de Quinta do Anjo, o executivo municipal avaliou a reconversão em mercado de recursos, que acolherá "projetos conciliáveis de quatro associações locais e a sede do Grupo de Escuteiros de Quinta do Anjo e do Grupo Motard Montanhão. Um projeto de apoio a crianças e idosos, da responsabilidade da Associação Sementes na Mente e atividades no âmbito do bem-estar físico, que incluem yoga, alimentação saudável, entre outras, estão, também, previstas", disse a autarquia.

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010