Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Alcochete comemorou aniversário do 25 de Abril

“Novo ciclo político” inspira autarcas da vila ribeirinha 

Alcochete comemorou o 42.º aniversário do 25 de Abril com um conjunto de iniciativas culturais e desportivas que, desde cedo, decorreram por todo o concelho, mas foi à noite, no salão nobre dos paços do concelho, durante a sessão solene da assembleia municipal, que os autarcas e deputados municipais refletiram sobre os valores conquistados na revolução de 74 e a importância que os mesmos assumem na atual conjuntura política, económica e social de Portugal. Luís Miguel Franco, encerrou o ciclo de intervenções políticas, com um discurso otimista relativamente ao futuro: "Comemorar e lutar por Abril nesta nova fase da vida política nacional significa recuperar e repor os valores da justiça social, da valorização do trabalho, dos direitos sociais universais de todo o povo, como o direito à saúde (tão violentado em Alcochete nos últimos tempos), à educação, à segurança social e à cultura”, reforçou o presidente da Câmara de Alcochete. 
Autarcas de Alcochete renovam esperança nos valores de Abril

Perante um salão repleto de representantes do poder local, do movimento associativo e de outras instituições do concelho, o presidente da assembleia municipal, Fernando Leiria, abriu a cerimónia recordando a histórica noite de 24 de Abril de 74 e, numa alusão a todas as conquistas e valores alcançados, não poupou palavras ríspidas sobre a atuação governativa dos últimos quatro anos.
“Foram inúmeras as vezes que transformaram este país numa autêntica infernização, com um número nunca visto de inconstitucionalidades a que a revolução de Abril nunca teria assistido”, disse enumerando um conjunto de considerações que arrastaram o país para uma conjuntura de crise que não deixou o poder local à margem. “No ano em que se comemoram igualmente os 40 anos do poder local democrático, também uma das maiores conquistas de Abril, assistimos a uma vergonhosa ingerência na sua autonomia, impedindo que as autarquias cumprissem as suas funções e obrigações, numa constante violação da atual Lei das Finanças Locais”, salientou Fernando Leiria que deposita otimismo neste “novo ciclo político” decorrente das últimas eleições legislativas.
“Os compromissos do Parlamento que perante a sociedade portuguesa sustentam e viabilizaram este Governo, são profundamente inovadores pela sua abrangência social, cultural e política, e já produziram efeitos, tendo já sido dados passos importantes na reposição de rendimentos e na sua devolução de direitos que interrompem um percurso de saque”, disse o autarca.

Caminhamos no sentido certo
Depois das intervenções dos deputados representantes de cada bancada da assembleia municipal, o presidente da câmara de Alcochete,  Luís Miguel Franco, encerrou o ciclo de intervenções políticas, com um discurso otimista relativamente ao futuro: “Nos últimos  quatro anos, os direitos, liberdades e garantias dos portugueses foram constantemente postos em causa. O aumento do desemprego e da precariedade. O corte dos salários e de pensões. O aumento das taxas moderadoras, o encerramento de escolas e centros de saúde ou o aumento da emigração. Hoje, fruto da nova composição parlamentar, vivemos um período de esperança num presente que permita a construção de um futuro melhor”.
Embora reconheça que ainda não nos encontramos no “patamar ideal”, Luís Miguel Franco acredita que caminhamos no sentido certo, sendo um exemplo disso o Orçamento de Estado que, no que ao poder local diz respeito, prevê “ a reposição do rendimento dos trabalhadores e com alterações pontuais à lei dos compromissos e pagamentos e o fim às restrições na gestão pessoal”.


Os desafios da Câmara para este ano 
E se o percurso revela-se mais otimista a nível nacional, também no que diz respeito ao plano local, Luís Miguel Franco referiu que em 2015, a câmara municipal encontrou o “caminho da consolidação”: “De facto, a câmara de Alcochete encontra-se numa situação mais estável financeiramente, fruto de uma gestão rigorosa e de uma política consciente de contenção de despesa. Assim sendo, as perspetivas de futuro apresentam-se mais risonhas”.
Quanto a desafios a concretizar no município, o presidente destacou que a qualificação do espaço público, com a prossecução da reabilitação urbana, e o reforço da identidade local, com a construção do Bote Leão, são objetivos a concretizar, tal como o reequilíbrio financeiro da autarquia e a captação de investimentos.
“A situação do nosso país é complexa e difícil e exige de todos coragem, determinação, compromisso político e cívico e a consciência de que não existem soluções fáceis. No entanto, essa realidade não nos deve impedir de olhar com confiança para o futuro do nosso concelho e do país”, sublinhou Luís Miguel Franco.
A sessão solene da assembleia municipal terminou em grande com “Uma noite em Abril” por Luísa Ortigoso e João Balão. Pelas vozes da rádio teatro livre, a assembleia municipal reviveu, no dia da liberdade, aquela que foi a noite mais longa de Abril de 74. Um relato em direto, emocionante, pela voz de Luísa Ortigoso e pelas palavras de Salgueiro Maia, o “capitão sem medo” que deu expressão à vontade do povo português.

A conquista de Abril na voz dos jovens 
Escolas do concelho levam jovens a entender o 25 de Abril 
José Jorge Letria, Luísa Ducla Soares, José Carlos Ary dos Santos, Alexandre O’Neill, José Niza e Sophia de Mello Breyner foram apenas alguns dos autores portugueses que se fizeram ouvir na manhã do passado dia 22 de Abril, no largo Almirante Gago Coutinho. Os alunos dos vários estabelecimentos de ensino da freguesia de Alcochete reuniram-se neste largo da vila de Alcochete para, mais uma vez, darem “voz” a mais uma edição de “Na Voz dos Jovens…”.
Comemorar a leitura e a liberdade foi o que motivou as escolas do ensino básico do 1.º ciclo do Passil, da Restauração, nº1 e nº2 de Alcochete, a escola de ensino básico de 2.º e 3.º ciclos El-Rei D. Manuel I e a escola secundária de Alcochete a participarem na 9.ª edição da “Na Voz dos Jovens…”, uma iniciativa realizada pela câmara municipal em parceria com o agrupamento de escolas e que integra o plano anual de atividades de cooperação da rede de bibliotecas de Alcochete.
A abertura oficial da iniciativa coube à vereadora da cultura, Raquel Prazeres, que se revelou bastante satisfeita por ver "tantas crianças com vontade em festejar datas tão simbólicas como o 25 de Abril e a dia do livro e dos direitos de autor". A vereadora da educação, Susana Custódio, assim como o presidente da junta de freguesia de Alcochete, Estêvão Boieiro, também marcaram presença na iniciativa.
Através das palavras de vários autores portugueses, as crianças e jovens puderam recordar a importância dos valores de Abril e das suas conquistas. Cada turma subiu ao coreto do largo Almirante Gago Coutinho e pode apresentar os seus textos, uns acompanhados por cravos, outros com imagens que evocavam as cores e os valores democráticos conquistados na revolução de Abril. “Liberdade” de Sérgio Godinho foi o tema que deu início a esta festa da leitura e da liberdade que terminou em grande com a interpretação coletiva de “Grândola Vila Morena” de José Afonso.
Esta quarta-feira, 27 de Abril, às 10h30, é a vez dos alunos da freguesia de São Francisco comemorarem o 25 de Abril com a animação “Abril em São Francisco”, no largo 1.º de Maio, e no dia 28, à mesma hora, os alunos da freguesia do Samouco sobem ao palco na praça da República.

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010