Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 10 de março de 2016

Paquistão está interessado em investir no porto de Sines

Ministra anuncia alargamento do maior porto do país 

Kamran Michael, senador e ministro federal dos portos de navegação do Paquistão, encontrou-se esta semana, no porto de Sines, com a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, para demonstrar-lhe o interesse dos investidores paquistaneses em investir naquela infra-estrutura portuária do distrito de Setúbal. No mesmo dia, em visita ao porto de Sines, a Ministra do Mar anunciou que o Governo vai decidir o alargamento do terminal de contentores do porto de Sines até final do próximo mês de Junho. “Até final do primeiro semestre serão tomadas todas as decisões em matéria de ampliações portuárias”, disse Ana Paula Vitorino. 
Ministra do Mar visitou o porto de Sines esta semana 

No caso de Sines, o que está em causa é a terceira fase da expansão do Terminal XXI, de contentores, concessionado à PSA, [Portos de Sines e Algarve]. O anterior Governo não chegou a acordo com o concessionário, para a expansão definitiva tendo optado por um alargamento intermédio. A ministra socialista visitou esta semana as obras em curso e referiu que a conclusão está prevista para o próximo mês de Maio. O investimento, de 35 milhões de euros, aumenta a capacidade do terminal em mais de 30 por cento e permite libertar o cais principal para a operação dos grandes navios.
O terminal de contentores necessita, no entanto, de uma expansão maior, que depende de acordo com o concessionário – que para financiar a obra quer um alargamento dos prazo de concessão – ou de um outro modelo a definir pelo Governo, como o lançamento de um novo concurso público, para encontrar novos concessionários.
De acordo com algumas fontes especializadas, o caminho mais provável a encetar pelo Governo é o acordo com a PSA para o alargamento do prazo de concessão. Isso obriga a uma alteração da lei, que actualmente limita a concessão a 30 anos, estendendo esse prazo até aos 50 anos, ou até mesmo até ao 75 anos, como é o caso em Espanha.
Nesse sentido, a ministra disse apenas que “a demonstração da necessidade de ampliação é por demais evidente, já existe um estudo” e que o Governo vai pedir um “parecer juridico para saber se a operação pode ser feita por renegociação com o concessionário, porque é necessário visto do Tribunal de Contas”.
Ana Paula Vitorino informou que o Governo pretende deixar que seja a Administração do Porto de Sines a conduzir o processo, ao contrário do que era a prática do Governo anterior, e revelou que vai ter uma reunião com a APS já na próxima semana. 

Paquistaneses interessados no porto de Sines  
A visita contou com a presença do ministro dos Portos e Navegação do Paquistão, que veio conhecer o Porto de Sines e estudar possibilidades de negócio.
Para este interesse, é decisivo o facto de o Paquistão se encontrar na passagem da rota marítima que se inicia no Extremo Oriente, desde o Japão, passando por potências económicas mundiais como a China, Coreia do Sul, Taiwan (Formosa), Singapura e Índia, por exemplo, seguindo depois para o Canal do Suez, em direcção aos mercados europeus. E a vantagem geo-estratégica desta rota em sentido inverso também. 
O interesse dos investidores paquistaneses ontem demonstrado deverá incidir nas infra-estruturas de terminais para carga contentorizada. Este segmento de mercadorias está em crescendo consecutivo há mais de uma década em todo o Mundo e as perspectivas para os anos vindouros são igualmente positivas.
O facto de o porto de Sines ser um porto de águas profundas, com capacidade para receber os navios porta-contentores de última geração, cada vez de maiores dimensões, e de ter espaço para alargar as áreas de terminais de contentores, são dois atractivos que os investidores paquistaneses, entre outros, estão a ter em consideração.
Já em Janeiro deste ano, o porto de Sines registou um crescimento de 7,6 por cento nas mercadorias movimentadas face ao período homólogo, fixando a quota de mercado do sector portuário no Continente em 51,4 por cento, após um ligeiro decréscimo de 0,3 por cento em comparação com o primeiro mês de Janeiro de 2015. 
A cerimónia serviu também para inaugurar o novo entreposto frigorífico do porto de Sines, um investimento da ordem dos dois milhões de euros, da responsabilidade da FP Sines Lda, empresa do grupo espanhol Friopuerto Investment, que vai permitir ao porto entrar no negócio do transporte de produtos pereciveis, como a fruta.


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010