Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 18 de março de 2016

CDU e PSD contra Metro de Superfície no Montijo

Câmara do Montijo quer Metro no futuro Aeroporto 

Na sequência da previsão de instalação de um novo aeroporto na Base Aérea n.º 6 do Montijo e da necessidade de estudar e projetar o reforço dos transportes públicos na cidade, o presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta, apresentou, na última reunião ordinária da autarquia, uma moção em defesa da ligação do Metro Ligeiro de Superfície ao futuro aeroporto. Apesar de, historicamente, já terem defendido a ligação do Metro Sul do Tejo à cidade do Montijo, PSD e CDU votaram contra a moção, inviabilizando assim a sua aprovação.

Vinda de aeroporto pode representar chegada do metro ao Montijo

O presidente da Câmara do Montijo apresentou a referida moção por considerar que “na defesa do superior interesse do concelho, a solução de Metro de Superfície representa uma mais-valia na rede de transportes públicos e na conectividade da cidade com a nova infraestrutura aeroportuária civil”, afirmou Nuno Canta.
Para o autarca é necessário “estudar e projetar a consolidação de um elemento estruturante que atravesse o Arco Ribeirinho Sul, dando coerência territorial e coesão funcional ao território, através de um corredor de transportes coletivos, para garantir a irradiação económica da nova centralidade aeroportuária do Montijo”.
A ideia de extensão do metro de superfície à cidade do Montijo surgiu em 1997, na Assembleia da República, através da aprovação de uma proposta do PSD de alteração ao Orçamento de Estado para 1998 que contemplava uma verba para o desenvolvimento de estudos e projetos com vista à extensão do metro ligeiro à cidade do Montijo.
"Desde então, até hoje, não houve nenhum tipo de progresso para a concretização desta intenção e, muito menos, tinha sido equacionada a ligação por metro entre a cidade do Montijo e o novo aeroporto, pois só em 2014 se começou a debater a localização desta infraestrutura aeroportuária na Base Aérea n.º 6", refere o texto da moção do Partido Socialista.
Por considerar que o município do Montijo deve ser parte ativa no processo de construção do futuro aeroporto, em audiência realizada com o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, no passado mês de janeiro, Nuno Canta abordou a necessidade de se estudar uma nova solução de transporte público de conectividade entre a cidade do Montijo e o futuro aeroporto e, deste, ao Arco Ribeirinho Sul através do Metro Ligeiro de Superfície.
A instalação do aeroporto complementar à Portela na Base Aérea n.º 6, no Montijo, pode implicar uma ampliação da rede de transportes públicos na região, estando em equação a hipótese de estender a ligação do Metro Sul do Tejo até ao Montijo. A sugestão foi apresentada por Nuno Canta, presidente da Câmara do Montijo, ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, no decorrer de uma reunião em Fevereiro, com o governante a deixar a promessa ao autarca de que essa e outras possibilidades vão ser equacionadas pela tutela. O ministro prometeu que o Governo irá equacionar a possibilidade, caso o novo aeroporto de Lisboa “aterre” na cidade. A ponte para o Barreiro e um programa de dragagens do Tejo foram outras questões abordadas nessa reunião. Esta solução implica uma autêntica revolução do serviço de transporte urbanos nos concelhos do Montijo, Moita, Barreiro, Seixal, Almada e até Palmela ou Alcochete.
Comunistas e social-democratas estão contra a proposta.


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010