Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Festa dos 500 anos do Foral de Alcochete terminou

Carminho fechou programa das comemorações dos 500 anos do foral 

Música, dança, teatro, animações, serviço educativo, exposições, palestras, workshops e atividades desportivas. Muitas foram as atividades que deram a conhecer a época de quinhentos, junto de públicos diversificados, no âmbito das comemorações dos 500 anos da atribuição do Foral a Alcochete pelo rei Venturoso, D. Manuel I, que chegaram ao fim no passado sábado, com a realização da sessão solene no Núcleo de Arte Sacra e com o concerto com “Carminho”, no Fórum Cultural de Alcochete. A fadista interpretou alguns temas do seu mais recente disco “Canto”, sem esquecer alguns fados tradicionais tão ao gosto de um público que aprecia e se identifica com esta “música” que é património de todos nós.
Comemoração dos 500 anos do Foral de Alcochete durou um ano 

92 atividades, 287 sessões e 9279 participantes, em atividades de recinto fechado, foram alguns dos números divulgados durante a sessão e que, de alguma forma, dão uma perspetiva de um ano de comemorações que, sem dúvida, foi também um ano de exaltação da cultura, tradições e gentes locais.
“Hoje, sublinhamos a conclusão de um ano evocativo de mais uma data memorável: 17 de Janeiro de 1515. Nesse preciso dia, D. Manuel I, Rei de Portugal e de outros territórios d’aquém e d’além Mar, conferia à terra que o viu nascer, o foral que marcou o início do Concelho de Alcochete”, referiu o presidente da Câmara Municipal que enalteceu o papel das várias entidades e coletividades que contribuíram para a diversidade da programação das comemorações.
“É de mais elementar justiça deixar aqui um profundo e sentido agradecimento às dezenas de coletividades que connosco organizaram e levaram a cabo todas estas iniciativas; e também aos trabalhadores da Autarquia que, com o seu empenho e dedicação, tornaram possível que tudo isto acontecesse”, referiu.
A edição da digital do Foral de Alcochete, a realização da Feira Quinhentista, numa organização conjunta com o Agrupamento de Escolas e a Associação GilTeatro, e o lançamento dos vinhos “Foral de Alcochete” em conjunto com a Sociedade Agrícola de Rio Frio foram alguns dos eventos que se destacaram destas comemorações que tiveram início a 17 de Janeiro de 2015 e término a 16 de Janeiro de 2016.
Como reconhecimento pela sua participação e envolvimento nas comemorações dos 500 anos do Foral, a Câmara de Alcochete entregou, durante a sessão de encerramento, uma oferta às três Juntas de Freguesia do Concelho, ao Agrupamento das Escolas de Alcochete, à Alfarroba Edições, à Associação GilTeatro, à Associação de Xadrez do Barreiro, à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcochete, ao Conservatório Regional de Artes do Montijo, à Escola Comunitária de Alcochete, ao Estaleiro Naval de Sarilhos, ao professor Vítor Mira, ao Rancho Folclórico Danças e Cantares da Fonte da Senhora, à Sociedade Agrícola de Rio Frio, à Sociedade Filarmónica Progresso e Labor Samouquense e à Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898.
Para além destas entidades, colaboraram ainda na programação o Teatro Nacional de São Carlos, o Laboratório de Hércules da Universidade de Évora, a Andante Associação Artística, o Município da Moita, António Teixeira, Bruno Almeida e José Manuel Vargas.

Carminho encheu Forum Cultural 
Alcochete rendeu-se à voz de Carminho 
Carminho esgotou o Fórum Cultural de Alcochete com um concerto que marcou, de forma memorável, o encerramento de um ano de comemorações dedicadas aos 500 anos do Foral de Alcochete.
No dia em que o Município de Alcochete promoveu a Sessão Solene alusiva à Restauração do Concelho,  a fadista interpretou alguns temas do seu mais recente disco “Canto”, sem esquecer alguns fados tradicionais tão ao gosto de um público que aprecia e se identifica com esta “música” que é património de todos nós.
“Senhora da Nazaré”, “Pedras da minha Rua” e “As penas” ouviram-se num perfeito silêncio, numa sala, que por breves momentos se assemelhou a uma casa de fados, e que depois se encheu de alegria com “Bom dia Amor” ou a “Marcha de Alfama”.
Acompanhada por Luis Guerreiro, (guitarra portuguesa), Flávio Cardoso, (viola), Marino de Freitas (baixo), por Ruben Alves (acordeão e teclas), André Silva (bateria e percussões), a fadista apresentou, do seu terceiro disco, o inédito brasileiro “Chuva na Mar”, os temas "Contra a Maré", "Ventura", “Porquê” e “Saia Rodada”, aplaudido de pé no encore.
“Um espetáculo inesquecível” comentaram as pessoas à saída do Fórum Cultural de Alcochete, que ficará para sempre associado a duas das mais importantes datas do Município: os 500 anos da atribuição do Foral de Alcochete e a Restauração do Concelho.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010