Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Câmara de Palmela desafia parceiros da Rede Social

Autarquia apresentou programas e medidas de combate à pobreza e inclusão 

O presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, apelou aos parceiros que integram a Rede Social de Palmela para que se envolvam na apresentação de projectos, para rentabilizar da melhor forma as verbas comunitárias que o município já conseguiu captar no âmbito do Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial, já aprovado na Área Metropolitana de Lisboa. O desafio foi lançado durante a sessão de abertura do Fórum Social de Palmela, que decorreu no final da semana passada, na Biblioteca Municipal de Palmela. A autarquia diz ainda que “outras candidaturas estão previstas no domínio do emprego, da inovação, do empreendedorismo, da qualificação e formação profissional e da educação, com especial ênfase nas medidas que possam conduzir à redução do abandono escolar e na requalificação do próprio parque escolar”. 
Palmela quer parceiros a apresentar ideias a fundos comunitários 

Nesta edição do Fórum Social, o debate centrou-se nas redes colaborativas, na governação integrada e nos novos programas e medidas de combate à pobreza e inclusão, designadamente, os Programas Escolhas, os Contratos Locais de Desenvolvimento Social, as Redes Locais para a Intervenção Social e as Estratégias de Desenvolvimento Local de Base Comunitária.
O presidente do Conselho Local de Ação Social de Palmela, Adilo Costa, considera que estes diferentes instrumentos e programas “configuram, seguramente, oportunidades para que as organizações ampliem a sua intervenção, chegando com mais e melhores respostas e meios a mais pessoas e famílias que necessitem delas”.
Por isso, defende o também vereador da Câmara de Palmela, que “importa tirar o melhor partido destas iniciativas e programas” e que é “fundamental a articulação entre todas estas respostas e entre todos os seus interlocutores, as diferentes IPSS’s, as comunidades, todas as associações, os organismos da administração central e local e os demais agentes sociais, para que Palmela seja, efectivamente, mais inclusiva, mais coesa, com mais e melhores oportunidades para todos”.

"Parceiros da rede são fundamentais na sua concretização"
O presidente da Câmara de Palmela lembrou que, no âmbito do Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial, “o município conseguiu um fundo cativo para projectos a definir e a executar até 2020,  mas não quis municipalizar todos os projectos e respostas e tem também esta bolsa reservada para que parceiros no território possam recorrer a ela".
Álvaro Amaro deu como exemplo o PRIA – Percursos em Rede na Inclusão Activa, um projecto supramunicipal, juntamente com as câmaras de Setúbal e Sesimbra, no domínio da saúde e bem-estar, “onde os parceiros da rede também são fundamentais na sua concretização”. Para além disso, o autarca diz que “outras candidaturas estão previstas no domínio do emprego, da inovação, do empreendedorismo, da qualificação e formação profissional e da educação, com especial ênfase nas medidas que possam conduzir à redução do abandono escolar e na requalificação do próprio parque escolar”.
De acordo com Álvaro Amaro, “está dado o primeiro passo, o da captação de verbas, será agora fundamental concretizar projectos e, para isso, contamos com os parceiros da rede”, concluiu o presidente.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010