Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Bebé encontrado morto em aterro no Seixal

Corpo foi encontrado desmembrado dentro de um saco 

Um corpo desmembrado de um bebé, que teria um ou dois meses de vida, foi encontrado num aterro da Cruz de Pau, no Seixal. A descoberta foi feita na madrugada de quarta-feira, por uma funcionária da Amarsul na linha de separação de lixos urbanos. O corpo estava dentro de um saco e em tão mau-estado (não tinha uma cabeça, um braço e uma perna) que não foi possível sequer determinar se era menino ou menina. "Quando foi descoberto pela funcionária da empresa, o corpo já tinha passado por várias máquinas que separam, compactam e destroem o lixo. As lesões no bebé podem ter sido causadas durante este percurso", disse uma fonte ligada à investigação ao Jornal Correio da Manhã. A autópsia foi realizada esta quinta-feira.
Corpo de bebé foi descoberto por funcionários da Amarsul 

Uma funcionária da linha de separação de lixos da empresa Amarsul, no Seixal, ficou aterrorizada ao abrir um saco esta quarta-feira de madrugada. O corpo de um bebé, com um ou dois meses de vida, parcialmente desmembrado, estava misturado no meio do lixo.
 Fonte da Amarsul relatou aos jornalistas da CMTV que a macabra descoberta ocorreu pelas 03h30, na zona de separação de lixos urbanos. "Recebemos contentores de resíduos sólidos vindos de nove concelhos de toda a Península de Setúbal. Uma funcionária encontrou o corpo no meio de muitos detritos", explicou. 
O cadáver estava desmembrado – não tinha a cabeça, um braço e uma perna – e o já avançado estado de decomposição não permitiu sequer apurar o respetivo sexo. As circunstâncias em que o corpo foi encontrado não permitem perceber se houve crime. 
"Quando foi descoberto pela funcionária da empresa, o corpo já tinha passado por várias máquinas que separam, compactam e destroem o lixo. As lesões no bebé podem ter sido causadas durante este percurso", disse uma fonte ligada à investigação. 
A PSP do Seixal foi chamada ao local para guardar os vestígios. Uma brigada de investigadores da Polícia Judiciária de Setúbal assumiu a investigação. O corpo foi transportado numa ambulância da Cruz Vermelha à morgue do Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde a autópsia foi realizada esta quinta-feira. Só após a autópsia se poderá encaminhar a investigação, percebendo nomeadamente se o bebé já estava morto ou ainda vivo quando foi atirado ao lixo.


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010